03/11/12

...

freja beha erichsen
... porque o amor diário
é sangue e carne que se rasga.
há depois o vazio,
e eu lá dentro com as palavras
e a esperança dos dois braços dele
a encaixarem nos meus e a
formarem o sorriso.