01/05/12

...

... às vezes o poema é como o nevoeiro  retarda-nos dentro do sonho penetra-se na pele causa um calafrio no peito  ... cega-nos com a fragilidade das palavras...  (... mas faz música nas costuras do meu coração...)
... às vezes o poema é como o nevoeiro retarda-nos dentro do sonho penetra-se na pele causa um calafrio no peito  ... cega-nos com a fragilidade das palavras...  (... mas faz música nas costuras do coração...)
... às vezes o poema é como o nevoeiro
retarda-nos dentro do sonho
penetra-se na pele
causa um calafrio no peito

... cega-nos com a fragilidade das palavras...

(... mas faz música nas costuras do coração...)